Saiba quais são os principais tipos de backup

Com os avanços dos meios digitais, a invasão de hackers passa a ser frequente. A empresa corre um risco muito alto não realizando backups, incluindo prejuízo financeiro e de reputação. Dessa maneira, todas as informações devem ser protegidas, mediante cópias em vários servidores remotos, assim como em outras medidas de segurança de dados.

Siga a leitura para conhecer os tipos existentes de backups e suas vantangens.

Onde é possível realizar um backup?

As possíveis formas e locais de armazenamento variam conforme o volume de dados existente. Para um baixo volume de dados a utilização de pen drive é muito comum, ou mesmo de Discos externos (USB) por exemplo.

Outra forma é o armazenamento em nuvem (cloud Backup), principalmente nos dispositivos celulares e nas plataformas de e-mail e também Servidores de arquivos e banco de dados. 

Ao se tratar de um volume maior de informações, um outro tipo de backup é por meio de um HD externo ou uma cópia do disco rígido dentro do próprio dispositivo. Também existem soluções mais recomendadas para um volume ainda maior de dados, como os storages e NAS. 

Quais são o tipos de backup?

Além do local em que será feito o armazenamento das cópias dos dados, também existem diferentes tipos de backup existentes, que se aplicam e cópias em nuvem ou cópias locais. O objetivo é identificar qual atende à necessidade da empresa de forma completa. A seguir os modelos: 

Backup completo ou full:

Esse modelo realiza cópia completa de todos os arquivos do servidor para outro local de armazenamento, descartando o backup anterior e dando lugar a um novo. Esse backup reproduz fielmente todas as informações do ambiente corporativo, certificando o administrador de que todos os dados estão protegidos e acessíveis em um momento de necessidade. A desvantagem desse modelo é que ele ocupa mais espaço de armazenamento e, por isso, demora um tempo para completar as cópias. 

Backup incremental:

O backup incremental faz cópia somente dos dados modificados, sanando alguns erros encontrados ao realizar o backup full, que copia todas as informações, mesmo que nenhuma alteração tenha sido feita. Para implementar o backup incremental é preciso realizar a cópia completa dos dados. A vantagem desse modelo é a rapidez do armazenamento, visto que não se copia todos os arquivos. No entanto, para que haja eficácia e os dados não sejam perdidos, é preciso inserir o backup full na mesma política de cópias de segurança. 

Backup diferencial:

O backup diferencial é semelhante ao incremental, pois as alterações são executadas a partir do backup full. Porém, os dados restaurados são os que foram modificados em relação ao último backup completo. Ou seja, utiliza-se o full e, depois, o diferencial. O ponto positivo desse modelo é que ele gera menos tráfego na rede por ter menos arquivos para restaurar. Por outro lado, o tempo de recuperação pode ser maior do que quando se utiliza o backup incremental. 

Qual opção de backup utilizar?

Em empresas com bases de dados pequenas e com crescimento lento, o backup completo é o mais indicado. Mas, se a organização possui banco de dados maiores, que chegam a alguns gigabytes em meses, as opções podem ser o incremental ou o diferencial. 

De qualquer forma, uma consultoria em TI pode ser acionada para verificar o ambiente, a quantidade de informações e seu potencial crescimento. Com essas e outras informações é possível definir o melhor modelo de backup a ser implementado na organização. 

Quais os riscos de não se realizar um backup adequado?

Sem um backup adequado o principal problema é a perda de dados em caso de algum imprevisto como danos no HD ou no servidor, arquivos apagados acidentalmente ou até mesmo de roubo de dados através de vírus de criptografia conhecidos como Ransomware. 

Consequentemente, podem ser perdidas informações importantes e em casos de empresas isso ocasiona uma série de prejuízos com rescisões, multas e etc. Dependendo das informações a serem perdidas, o funcionamento de uma empresa pode ser inviabilizado e até mesmo ir à falência. 

Proteger os dados corporativos é uma necessidade, por isso conte com a Globalmind para orientar qual é o melhor modelo para sua empresa. Entre em contato e converse com um de nossos especialistas. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *