Entenda o que é RAID e sua importância para performance e/ou segurança dos dados

No momento da aquisição e configuração de um novo servidor é muito importante levar em consideração como os dados serão armazenados para garantir a alta disponibilidade dos serviços. Afinal, mesmo que você execute uma rotina de backup, caso você tenha um problema físico nos seus discos, a sua operação pode ficar parada por horas até que este disco seja substituído e o backup seja restaurado.
Porém, não só o quesito segurança é tratado em uma configuração de RAID. Dependendo do modelo adotado, pode-se obter aumento de performance ao invés de segurança.

Abaixo listamos os tipos de RAID mais utilizados em configurações de servidores. Basicamente cada um possui suas características e requisitos específicos. Uma coisa é certa, sua empresa com certeza precisa de algum destes tipos de configuração de RAID.

 

1. RAID 0 – PERFORMANCE

No RAID 0 ou striping array, dois ou mais discos rígidos executam tarefas como leitura e gravação de dados de forma simultânea, gerando um aumento de performance e liberando toda a capacidade para armazenar informações.
Entretanto, RAID 0 exige atenção, afinal a segurança neste tipo de RAID não suporta falhas em qualquer um dos discos onde, em caso de falha em apenas um dos discos, todos os dados armazenados estarão comprometidos.

Vantagens:

  • Acesso rápido as informações
  • Custo menor para implantação

Desvantagens:

  • Caso algum disco falhe, não tem como recuperar;

 

2. RAID 1 – SEGURANÇA

O RAID 1 (Mirroring) é um tipo de RAID que permite utilizar dois discos rígidos, sendo que o segundo armazenará uma imagem idêntica do primeiro. Portanto, em matéria de espaço de armazenamento, é como se você tivesse apenas um disco instalado. A grande vantagem é que caso um dos discos pare de funcionar por qualquer motivo, você possui uma cópia de segurança armazenada no outro disco.

Pode-se utilizar RAID 1 com quatro ou mais discos (sempre em pares). Neste caso, um dos discos de cada par é visto pelo sistema como um disco separado e o outro fica oculto, guardado a cópia atualizada do primeiro. Exemplo: Ao utilizar 4 discos de 500 GB em RAID 1,  o sistema libera para armazenamento 1TB (referente a apenas 2 discos).

Desta forma, a sua empresa continua funcionando caso ocorra uma falha em um dos discos. Assim, o prejuízo operacional é praticamente nulo e consegue-se tempo para orçar e aguardar um novo disco ser entregue.

Vantagens:

  • Caso algum setor de um dos discos venha a falhar, basta recuperar o setor defeituoso copiando os arquivos contidos do segundo disco;

Desvantagens:

  • Custo relativamente alto se comparado ao RAID 0;
  • Pequena queda de performance;

 

3. RAID 5 – SEGURANÇA COM UM CERTO AUMENTO DE PERFOMANCE

O RAID 5 é um modo é muito utilizado em servidores com um grande número de discos. Este tipo de RAID cria uma camada de redundância, sacrificando apenas uma fração do espaço total, ao invés de simplesmente usar metade dos discos para armazenar cópias completas, como no caso do RAID 1. Os códigos de correção são espalhados entre os discos. Desta forma, é possível gravar dados simultaneamente em todos os discos, melhorando o desempenho. O RAID 5 para ser implementado necessita de pelo menos 3 discos e quanto maior a quantidade de discos usados, menor é a proporção de espaço desperdiçado.

Com esta configuração é possível recuperar os dados de qualquer um dos discos que eventualmente falhe. Mais ainda, o sistema pode continuar funcionando normalmente, mesmo sem um dos HDs.

Vantagens:

  • Leitura rápida (porém escrita mais lenta).

Desvantagem:

  • Sistema complexo de controle dos discos.

 

4. RAID 10 – ALTA PERFORMANCE E SEGURANÇA

O RAID 10 também é uma combinação dos níveis 0 (Striping) e 1 (Mirroring). Cada par será espelhado (RAID 1) para garantir a redundância e os pares serão distribuídos (RAID 0) para melhorar o desempenho. O RAID 10 necessita de pelo menos 4 discos rígidos. Até metade dos discos pode falhar simultaneamente, sem colocar o conjunto a perder, desde que não falhem os dois discos de um espelho qualquer. Este tipo de configuração é recomendada em ambientes de banco de dados por ser o mais seguro e um dos mais velozes.

Vantagens:

  • Segurança contra perda de dados;
  • Suporta falha de um ou dois discos ao mesmo tempo, dependendo de qual avaria.

Desvantagens:

  • Alto custo de expansão de hardware (custo mínimo = 4N HDs);
  • Os drivers devem ficar em sincronismo de velocidade para obter a máxima performance.

 

Conseguiu identificar qual a melhor solução para a sua empresa? A Globalmind possui uma equipe de especialistas para ajudá-lo a entender melhor todas as possibilidades de segurança e performance. Entre em contato conosco e torne os dados da sua empresa cada vez mais seguros e confiáveis.

Share this Post!

About the Author : global


0 Comment
× WhatsApp